Drenagem: Administração explica buracos no asfalto

Funcionários da Administração deram início à pesquisa de PVs (postos de visitas) do sistema de drenagem pluvial. A obra é uma das demandas para a regularização do condomínio

Por Ana Paula Oliveira

Veja a explicação do síndico:

A Administração do Comel (Condomínio Mansões Entre Lagos) deu início à pesquisa de PVs (postos de visitas) do sistema de drenagem pluvial. Até agora, cerca de dez pontos foram encontrados pelos trabalhadores, nas principais ruas da entrada do condomínio. A Administração informa que os buracos abertos para a pesquisa, ainda não foram tapados porque não foram encontradas as tampas de ferro à pronta entrega para a recomposição asfáltica. A previsão é que o serviço seja realizado nos próximos 15 dias. Novos buracos podem ocorrer, de acordo com o andamento da pesquisa por novos postos de visitas em toda a extensão do Comel.

Regularização

O correto seria que gestões anteriores tivessem construído bocas de lobo e grelhas para o escoamento da água da chuva, antes da finalização do asfalto. Como não foi feito, para se adequar às exigências dos órgãos ambientais para a regularização do condomínio, será necessário um trabalho minucioso de verificação das falhas. Na época da implantação do asfalto a obra nem mesmo chegou a ser registrada junto à Novacap, registro esse obrigatório dentro do processo de regularização. (Companhia Urbanizadora da Nova Capital é uma empresa estatal brasileira do Distrito Federal).

Custos

O projeto cadastral está sendo realizado por um profissional especializado ao custo de R$ 1,55 o metro linear de rede cadastrada. Além dessa despesa, que ainda não tem um valor final, o condomínio terá de custear a compra dos materiais necessários para todo o serviço.
“Os funcionários abrem o posto, entram na manilha e verificam para onde vai. A partir disso, vão descobrindo outros postos e bocas de lobos a serem abertos ou, também, onde devem ser colocadas grelhas de ferro”, explicou, o subsíndico, Adenir Pinto.


O cadastramento tem o objetivo de descobrir e registrar, em projeto, a malha de tubulação da drenagem existente. O mapeamento se transforma em projeto para ser apresentado posteriormente à Novacap, como rede existente. Após essa apresentação, o órgão poderá, ainda, fazer novas exigências para a substituição/complementação da obra e aprovação dos documentos.


“Este é um dos maiores desafios dentro do processo de licenciamento ambiental, tendo em vista que não foram encontrados nenhum registro, por parte do condomínio, junto à NOVACAP. Essa ausência de registro, criou a necessidade de buscarmos o profissional que projetou a rede à época, de forma que pudéssemos identificar, não só a existência, mas os documentos que possibilitassem a execução dos necessários trabalhos de cadastramento da rede. A medida é de fundamental importância para o processo de regularização, haja vista que drenagem é a primeira obra dentro da construção de um projeto habitacional”, comentou o síndico Mauro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.